Telefones: 843890558 / 823001102
info@cncs.gov.mz

Dados Nacionais

Segundo os dados mais actuais disponíveis:

  • Segundo dados de 2018, 2.184.626 de pessoas viviam com HIV em Moçambique.[1]
  • 13,2% da população moçambicana entre os 15‐49 anos vive com HIV (IMASIDA 2015). Isso representa um aumento de quase 2% desde 2009, quando a taxa de prevalência era de 11,5% (INSIDA 2009).  
  • Estima-se que em 2018 mais de 53.886 mortes em Moçambique estiveram relacionadas a HIV, o que corresponde a 170 mortes por dia.[2]
  • Em 2018, quase 123 mil mulheres grávidas viviam com HIV.[3]
  • Em 2018 a taxa de transmissão vertical no final do período de amamentação era de 15%.[4]
  • Em 2018, 1.212.562  pessoas vivendo com HIV em Moçambique estavam a fazer o tratamento antirretroviral (1.125.642 adultos e 86.920 crianças).[5]
  • 69% dos pacientes que iniciam o tratamento antirretroviral permanecem activos após 12 meses.[6]

Tratamento antiretroviral (TARV)

  • Em 2018, 1.212.562 das pessoas vivendo com HIV em Moçambique estavam a fazer o tratamento antirretroviral (dos quais 1.125.642 adultos e 86.920 crianças).[7]
  • 69% dos pacientes que iniciam o tratamento antirretroviral permanecem activos após 12 meses. Aos 24 meses esse número diminui para 51% e aos 36 meses situa-se em 47%.[8]
  • Apenas 46% dos homens infectados por HIV estão em tratamento antirretroviral. Já entre as mulheres, 73% delas fazem o tratamento.[9]
  • 80% das unidades sanitárias do Serviço Nacional de Saúde oferecem serviços de tratamento antirretroviral (TARV), o que totaliza quase 1300 unidades sanitárias.[10]

Novas infecções por HIV

  • Estima-se que em 2018 tenham ocorrido 145.038 novas infecções por HIV em Moçambique.[11]

Mortes relacionadas a HIV

  • Estima-se que em 2018 53.886 mortes em Moçambique estiveram relacionadas ao HIV, o que corresponde a 191 mortes por dia. Isso representa um significativo declínio desde 2013, quando o número de mortes estava acima de 90 mil.[12]

Mulheres

  • Cerca de 1 milhão e 200 mil mulheres em Moçambique estavam infectadas por HIV em 2017. Zambézia é a província mais afectada, com 231.189 mulheres infectadas. Niassa é a província com menos mulheres infectadas (42,328). [13]
  • Em 2016, quase 120 mil mulheres grávidas viviam com HIV.[14]

Co-infecção HIV/Tuberculose (TB) 

  • HIV e Tuberculose continuam a ser as doenças que mais mortes provocam em Moçambique.[15]
  • 95% dos pacientes co‐infectados com TB/HIV+ estão em TARV[16]

[1] Spectrum 5.751
[2] Idem
[3] Idem
[4] Idem
[5] Fonte: MISAU (SIS‐H‐04); Spectrum 5.56
[6] PEPFAR (SAPR1‐2017)
[7] Fonte: MISAU (SIS‐H‐04); Spectrum 5.56
[8] PEPFAR (SAPR1‐2017)
[9] MISAU (SIS‐H‐04); Spectrum 5.56
[10] MISAU (PNC ITS‐HIV/SIDA)
[11] Spectrum 5.56
[12] Idem
[13] Spectrum 5.56
[14] Idem
[15] Banco Mundial 2017 Mozambique
[16] MISAU (PNCT‐7‐02)

Avenida 25 de Setembro, nº 1008, 8º andar - Maputo, Moçambique
Telefones: 843890558 / 823001102
E-mail: info@cncs.gov.mz
© 2020
 CNCS – Conselho Nacional de Combate ao HIV/SIDA Todos Direitos Reservados
linkedin facebook pinterest youtube rss twitter instagram facebook-blank rss-blank linkedin-blank pinterest youtube twitter instagram